Congresso Eucarístico: o que é? Qual sua origem?

Caros amigos, vamos dar uma pausa em nosso resumo sobre a Laudato Si do Papa Francisco para desenvolvermos vários artigos sobre a Eucaristia, já que a Diocese de Jundiaí, em preparação ao seu Jubileu de Ouro em 2017, promoverá nos dias 6, 7 e 8 de novembro o seu Congresso Eucarístico Missionário, que acontecerá no Parque Comendador Antonio Carbonari (Parque da Uva).

Um Congresso Eucarístico quer ser a convergência de todas as pessoas que professam a fé católica na realidade da Santíssima Eucaristia, e que desejam dar um testemunho público de sua fé na presença real de Jesus Cristo e é uma demonstração pública da fé pessoal: anunciamos sua morte e proclamamos Sua ressurreição! Vinde Senhor Jesus!

Uma senhora chamada Emilie Tamisier (1834-1910), em meados do século XIX, inspirada pelo fundador da Obra da Adoração Perpétua e da Congregação do Santíssimo Sacramento, São Pedro Julião Eymard (1811- 1868), o Apóstolo da Eucaristia, que tomou a iniciativa de organizar, com a ajuda de outros leigos, padres e bispos e com a bênção do Papa Leão XIII, o primeiro Congresso Eucarístico Internacional em Lille na França, com o tema: A Eucaristia salva o mundo. Em 1879, o Papa Leão XIII, constituiu o Pontifício Comitê para os Congressos Eucarísticos Internacionais que tem como objetivos e competências: fazer conhecer, amar e servir sempre melhor Nosso Senhor Jesus Cristo no Seu Mistério Eucarístico, centro da vida da Igreja e da Sua missão pela salvação do mundo. Por isso promove a preparação e a celebração periódicas dos Congressos Eucarísticos Internacionais. Desde então foram cinquenta congressos internacionais, o último em Dublin na Irlanda.

No Brasil, até agora, já aconteceram 16 Congressos Eucarísticos Nacionais. O primeiro foi realizado em 1933, em Salvador (BA), com o tema “Vinde, adoremos o Santíssimo Sacramento”; o último, na cidade de Brasília, em 2010, com o tema “Eucaristia, pão da unidade dos discípulos missionários” (Tive a graça de participar deste representando o Instituto João Paulo II da Arquidiocese de Sorocaba).

O discípulo missionário de Jesus Cristo se alimenta do Pão eucarístico, para que possa fortalecer-se na fé, na esperança e na caridade e não desfaleça por causa das dificuldades do caminho. Um ato de adoração radical a Jesus na Eucaristia implica em compromisso de coerência e autenticidade cristã. Por isso, um Congresso Eucarístico tem implicações teológicas e espirituais, pastorais e missionárias, catequéticas e vocacionais, sociais e políticas, culturais e ecológicas, ecumênicas e inter-religiosas. De modo que “a Eucaristia, centro e ápice da vida cristã, reconcilia, purifica, cancela as raízes do pecado, aumenta a caridade e torna mais sólida a comunhão eclesial. Nós, na Eucaristia, tornamo-nos o que recebemos: ‘consanguíneos’ de Cristo, irmãos entre nós. A Igreja vive da Eucaristia, com ela se edifica, se fortalece. Não existe Igreja sem Eucaristia, nem Eucaristia sem Igreja” (São João Paulo II. Mensagem para a Conclusão do XI Congresso Eucarístico Nacional em Aparecida, 21/7/1985).

Pe. Enéas