“O amor é a nossa missão: a família plenamente viva”

dom_vicente_costa“Portanto, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos,
principalmente aos da família da fé” (Gl 6,10).

Prezados irmãos e irmãs da Igreja de Deus que se faz presente na Diocese de Jundiaí:

O mês de agosto, que agora se finda, foi instituído pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na sua 19ª Assembleia Geral de 1981, como o mês vocacional. Foi e continua sendo uma ótima oportunidade para refletir sobre todas as modalidades de vocações da vida cristã e rezar por elas, a fim de criar consciência vocacional e nos despertar para nossas responsabilidades na Igreja e na sociedade de hoje.

Sempre é muito oportuno refletir sobre a vocação e a missão da família cristã. Neste mês de agosto celebramos a Semana Nacional da Família, promovida pela CNBB (09 a 15) e a Semana Diocesana da Família (16 a 23), realizada em nossa Igreja Particular.

Queridas irmãs e irmãos diocesanos: quero lembrar-lhes o tema de ambas as Semanas da Família, o mesmo do 8º Encontro Mundial das Famílias, que acontecerá de 22 a 27 de setembro deste ano, na cidade de Filadélfia, Estados Unidos, e que contará com a presença do Papa Francisco nos últimos dois dias do Encontro. O tema é: “O amor é a nossa missão: a família plenamente viva”.

Por que neste ano foi escolhido este tema para a reflexão sobre a vocação e a missão da família? Porque, infelizmente, muitas famílias não conseguem viver mais o amor: o amor que é compromisso com o outro, em especial entre um homem e uma mulher e aberto a acolher vidas novas, que são os filhos, fruto deste fecundo e maravilhoso amor que une os pais. Se “Deus é amor” (1Jo 4,16b), temos o dissabor de ver a violência cada vez mais aumentando em nossas famílias, a irresponsabilidade e o descaso com as crianças e os idosos, a infidelidade na vivência do compromisso conjugal, a formação de uma geração vazia de valores, do apreço pelo que é certo ou errado, a falta de políticas públicas que defendam e promovam os direitos fundamentais da família. E talvez possamos aumentar sem fim esta lista da negação da vivência do amor em nossas famílias!

A Palavra de Deus exalta o sentido verdadeiro do amor. No famoso hino ao amor-caridade (1Cor 13), São Paulo fundamenta as regras para a família a partir do amor: o amor entre esposo e esposa (cf. Ef 5,22-33; Cl 3,18-19) e o amor entre pais e filhos (cf. Ef 6,1-4; Cl 3,20-21), pois a família é chamada a viver o mesmo Amor-Aliança com o qual Jesus amou a sua Igreja e por ela se entregou até o fim (cf. Ef 5,32).

Portanto, queridas irmãs e irmãos diocesanos: acreditemos que o amor é a missão da família, para que ela seja plenamente viva. Pois esta missão do amor é o meio de sermos completamente vivos e plenamente realizados. Tenhamos a certeza de que o amor que vem de Deus deve ser vivido, compartilhado e comunicado na família e por ela. São João Paulo II costumava repetir duas grandes afirmações: “A família é a primeira célula da sociedade”, ou ainda: “O futuro da humanidade passa pela família”.

É bom lembrar também que o tema da Semana Nacional e Diocesana da Família deste ano está em sintonia com a caminhada sinodal que a Igreja Católica faz em torno do tema família. A 14ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que acontecerá em Roma, de 04 a 25 de outubro deste ano, terá por finalidade aprofundar o tema: “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”, a partir de três eixos fundamentais: (a) a escuta dos desafios da família; (b) o discernimento da sua vocação; (c) e a reflexão sobre a sua missão. Espera-se uma palavra corajosa, profética e atualizada da Igreja, pois “a família, além de ser solicitada a responder às problemáticas atuais, está sobretudo chamada por Deus a adquirir uma consciência cada vez mais renovada da própria identidade missionária de Igreja doméstica, também ela ‘em saída’. Num mundo muitas vezes marcado por solidão e tristeza, o ‘Evangelho da família’ é deveras uma boa notícia” (Instrumento de Trabalho do próximo Sínodo, n. 5).

Por fim, queridas irmãs e irmãos diocesanos: dentro da celebração do Triênio Preparatório para o Jubileu de Ouro da Diocese, prosseguindo na iniciativa da valorização da vivência dos Sacramentos a partir da “Jornada dos Sacramentos”, quero compartilhar com vocês a grande alegria que experimentei ao presidir o Sacramento do Matrimônio de três casais, na Paróquia São João Bosco, em Jundiaí, no dia 22 de agosto. Que estes casais vivam felizes e abençoados todos os dias de suas vidas.

Faço sinceros votos de que o Senhor conceda a todas as nossas famílias a graça de seguir os passos da Sagrada Família de Nazaré, para que elas vivam o amor que nunca passará (cf. 1Cor 13,8), assumindo o amor como sua missão própria, tornando-se assim plenamente vivas, dom do amor de Deus para o mundo e a Igreja.

E a todos abençoo, particularmente as nossas famílias e todos aqueles que trabalham pela promoção dos valores familiares.