Advento: Tempo de Espera

“E então verão o Filho do Homem vindo numa nuvem com poder e grande glória”. (Lc 21, 27)

NOVENA_DOMVLADIMIR-0191Amados devotos da Mãe Aparecida, alegria e paz!

Damos início a um novo ano litúrgico. Vamos refletir neste ano C, a vida de Jesus sob a ótica da comunidade de Lucas, que nos vai apresentar o caminho de Cristo, o enviado do Pai, que se realiza na história de um modo particular, através das curas que Ele realizará durante a sua vida publica.

Esta realização se manifesta na vida da humanidade, que espera ansiosamente a segunda vinda do Filho do Homem que por sua vitória sobre a morte nos fez vitoriosos.

Podemos dizer que este tempo litúrgico trás consigo dois elementos essenciais para a vida da Igreja: memória e esperança.

Memória fazemos da primeira vinda do Messias, isto é, pelo sim generoso da Virgem Maria, o Filho de Deus que assumiu a condição de ser humano.

Esperança temos porque vivemos em direção do Cristo que vem pela segunda vez , como professamos no credo: “para julgar os vivos e mortos”, e dar um sopro de vida na vida de “muitos” que estão dispersos de Deus por causa do pecado.

Eis que o Senhor se reveste da nossa fragilidade humana, para realizar o seu eterno plano de amor e abrir-nos o caminho da salvação. (Cf. Prefácio do advento). Esta salvação, já nos foi oferecida em sua primeira vinda. Dela, portanto, fazemos memória e na esperança queremos que Ele volte.

Este é o tempo favorável que a Igreja, por meio da Liturgia, nos oferece para que estejamos atentos e vigilantes ao Cristo que há de vir na sua Glória, pra conceder-nos em plenitude os bens que nos fora prometidos.

Estes dois elementos, memória e esperança, se unem ao coração do ser humano, na certeza de que Deus sempre se lembra dos seus filhos, e que faz acolher e reconhecer seu único Filho, que continuamente vem ficar no meio de nós, a fim de que com sua segunda vinda gloriosa no fim dos tempos, Ele nos introduza todos juntos no Reino, para fazer-nos participar da vida eterna.

Enquanto isso não se torna pleno em nossas vidas, antecipamos a vinda do Filho do Homem, pela nossa participação na Eucaristia. O celebrar o Mistério Pascal do Senhor, põe em estado de expectativa todo aquele que dela participa quando proclamamos no Pregão Pascal “Ó noite realmente gloriosa, que reconcilia o homem com Deus”, e realiza verdadeiramente a lenta e paciente volta do Senhor na história do gênero humano.

A implantação do Reino de Deus na vida do ser humano, é presente e trata-se de começar a descobri-lo. Quem é vigilante está disposto a descobri-lo no quotidiano, e também pela aclamação memorial da celebração eucarística:

“Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a Vossa Ressurreição. Vinde, Senhor Jesus”, com toda glória que é devida a Ti!

Com a minha fraternal benção.

No Espírito de Jesus,

Pe. Márcio Felipe.
Pároco/Reitor do Santuário